Cappelli na FACHA 2

 

Financiamento e oportunidades do esporte brasileiro foram os temas da palestra do secretário nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (Snelis), Ricardo Cappelli, nesta semana no Rio de Janeiro, durante o ciclo de palestras Esporte em Debate realizado na Faculdade Helio Alonso (Facha).

A instituição, localizada em Botafogo, criou o curso de tecnólogo em gestão esportiva que terá duração de dois anos, uma importante iniciativa para formação de novos gestores esportivos no país. O curso, já autorizado pelo Ministério da Educação, começa em fevereiro de 2015.

Na palestra, realizada na segunda (8.12), Ricardo Cappelli abordou as fontes de financiamento federais para o esporte brasileiro, quais projetos elas financiam, os caminhos destes recursos e como eles estão gerando uma cadeia de oportunidades no esporte brasileiro. “Procurei mostrar que esta cadeia está gerando empregos e que existem muitas oportunidades para gestores esportivos que estas pessoas precisam estar capacitadas para o bom andamento dos projetos e de suas respectivas aprovações”, disse.

Na oportunidade, o secretário nacional fez uma cronologia desde a criação de um ministério exclusivo do Esporte, em 2003, passando pela evolução da legislação com, por exemplo, a criação da Lei de Incentivo aos Esporte (LIE) e das e ações que possibilitaram um aporte mais expressivo de recursos para o esporte nacional.

“Recursos que viabilizaram a criação de centros de alto rendimento e que já estão garantindo resultados históricos para o Brasil, como o obtido recentemente no mundial de piscinas curtas, cem Doha – Catar, com a conquista de sete ouros pela nossa seleção”, citou Cappelli.

Participaram do evento cerca de 80 pessoas entre professores do curso de tecnólogo em gestão esportiva da Facha, alunos, representantes de federações esportivas, organizações não governamentais e empreendedores do setor, entre eles, a jornalista Fabiana Bentes, diretora do projeto “Sou do Esporte”.

Para a vice-diretora da Facha, Márcia Alonso, filha do fundador da instituição, a abordagem feita pelo secretário nacional do Ministério do Esporte muito contribuirá para a qualificação da formação dos futuros tecnólogos em gestão esportiva do país. “Já havíamos detectado essa lacuna na formação de pessoas para atuar na gestão esportiva, especialmente, em virtude de todas essas fontes de financiamento que demandam das pessoas, do conhecimento da legislação e da técnica para se elaborar um bom projeto”, admitiu.

Segundo Marcia Alonso, o curso tem como objetivo preparar esses gestores que, como alunos, terão a cada semestre, a disciplina cuja formulação desses projetos, é requisito fundamental. “No primeiro semestre o projeto esportivo a ser traçado abordará a área social, no segundo, será a área e eventos, e por fim, em diferentes setores de atuação esportiva”, antecipou.

 

Fonte:

Carla Belizária
Ascom – Ministério do Esporte